Um texto sobre a quarentena - reflexão

29 maio

Eu sei que não tem sido fácil. Na verdade, a vida sempre foi difícil, nós que aprendemos a vivê-la da melhor forma.

Texto sobre a quarentena
Tenho vivido dias em que têm sido difícil até levantar da cama, por conta da saudade que eu estou das pessoas que me cercavam, por causa do desânimo e do medo... medo disso tudo demorar, medo pelas pessoas que estão sofrendo.
Você vai gostar: O que fazer na quarentena? 52 ideias!
Nunca fui uma pessoa chorona, mas sempre fui muito sensível em relação as coisas que acontecem ao meu redor. Ver as pessoas sofrendo, para mim, é 1000x pior do que eu mesma sofrer.

Esses dias realmente têm sido desafiadores e preocupantes, porque, pela primeira vez em nossa geração, não podemos programar o dia de amanhã, muito menos pensar em dinheiro ou trabalho.

Vivíamos tão apressados e sem tempo de pensar no que era realmente essencial, que a vida nos deu esse tempo à força. Agora temos todo tempo do mundo (literalmente), para pensar no quanto somos orgulhosos em demasiadas situações; em como somos fúteis e nunca exploramos nada além daquilo que conseguimos ver; em como falamos muito nos defeitos dos outros e nunca nos nossos; em como somos rancorosos e capazes de nos fazermos de vítimas para não assumirmos a nossa responsabilidade ou a nossa culpa nas situações.

A quarentena tem sido muito importante pra mim, e também deveria ser para você. Tenho pensado no que realmente é importante pra mim e, principalmente, tenho aprendido a ser presente no agora (por mais que quando eu esteja sozinha, vivo mais no mundo da lua).

Quando digo viver o presente, me refiro a focar no que está acontecendo agora, e o mais importante: com quem. Obviamente, estamos mais com a nossa família durante este período, e é dela mesmo que eu quero falar.

Eu sei que às vezes parece ser difícil conviver com ela, até pode ser. Porém, fica mais difícil ainda quando a gente não sabe dialogar, nem a nossa família, fica em uma disputa de egos eterna, com um lado querendo vencer o outro.

É aí que está o problema: não existe vencedor em nenhuma relação. Relacionamentos são feitos de compreensão e mediação, e onde não há isso, não há uma relação saudável.

Eu não estou dizendo que eu conheço sua família e sei pelo o que você passa, só estou dizendo que a gente pode fazer muito mais do que fazemos, muita das vezes.

Tem sido um tempo tão bom com a minha, conversamos mais, e até mesmo na hora de arrumar a casa toda sozinha (porque a única que está apenas em casa sou eu), eu tenho ficado feliz e agradecida. O engraçado é que se fosse em algum outro momento, estaria revoltada com isso.

 Esse momento triste que vivemos também é uma forma de aprendermos a ser mais empáticos com a situação de outras pessoas. Assistindo Atypical (muito boa, assistam) e lendo uma pesquisa publicada em 2013 sobre pessoas no espectro, eu vi que os indivíduos que possuem algum grau de autismo demoram a entender a situação pela qual a outra passa, mas assim que entendem, demonstram um “nível” maior de empatia pela pessoa.

Precisamos ser assim, não nos conformarmos com toda dor e sofrimento dos nossos próximos, e tomarmos pequenas atitudes todos os dias para  fazer do mundo que a gente vive, um lugar melhor. Não importa se o que você pode fazer parece “pouco”, até porque a gente só vence a guerra ao vencer as pequenas batalhas!

Infelizmente, não querendo ser pessimista, as coisas tende a piorar, e nós tendemos a sofrer mais ainda (se é que isso seja possível). Precisamos encontrar uma forma de viver bem durante esse período, nos encaixar de alguma forma,  juntar energias e esperar que isso tudo seja vencido. Tem um mundo lindo lá fora nós esperando :)

Enfim, eu gostaria que todos pudessem ver a quarentena do melhor ângulo que conseguir, e tentar tirar dela o maior aproveito, aposto que vão se sentir melhor depois disso.

Com carinho, Clara. 

You Might Also Like

0 comentários

Tecnologia do Blogger.